Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Ação conjunta prende em flagrante homem acusado de pedofilia

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
17/09/2020 18h58 - Atualizado em 17/09/2020 18h58

Policiais da 12ª DP (Copacabana), com apoio operacional de policiais do 19º BPM, prenderam em flagrante, nesta quinta-feira (17/09), em Itaguaí, um homem acusado de pedofilia. Com ele foram apreendidos arquivos contendo cenas de sexo explícito e pornográfico envolvendo crianças. Os agentes chegaram até o autor com base em um inquérito policial instaurado na 12ª DP para apurar o armazenamento e divulgação de vídeos com pornografia infanto-juvenil, supostamente atribuídos ao preso.

As investigações tiveram início após os agentes receberem uma notícia-crime de uma acompanhante, que foi procurada por um homem por meio de aplicativo de mensagens, após veicular um anúncio dos seus serviços em uma plataforma digital. O interlocutor, que se identificou apenas pelo primeiro nome, passou a especificar suas predileções, deixando claro que estava a procura de crianças para manter relações sexuais, chegando a enviar um vídeo pornográfico. O homem ainda fez uma proposta ofertando uma grande quantia em dinheiro para que sua filha de 9 anos fosse cooptada para a prática de atos sexuais.

Diante da gravidade dos fatos, a comunicante foi orientada pela equipe da delegacia a manter contato com o pedófilo, simulando interesse, a fim de angariar novas informações para subsidiar as investigações. O autor fez menção a outra mulher que estaria disposta a oferecer a própria filha de 1 ano e 6 meses para esta prática. Ao longo da conversa, o investigado enviou outros três vídeos com conteúdo de pornografia infanto-juvenil.

Com as informações, foram iniciadas diligências para qualificar o interlocutor, bem como identificar o local onde ele encontrava escondido. Em seguida, a 12ª DP representou pela busca e apreensão e afastamento de sigilo de dados dos dispositivos eletrônicos eventualmente encontrados na posse do investigado, tendo sido a representação acolhida pelo juízo da 21ª Vara Criminal da Capital.

Em cumprimento ao mandado judicial, os policiais detiveram o acusado em sua residência, tendo sido encontrados grande quantidade de vídeos de pornografia infantil armazenados no aparelho celular do investigado. Os agentes também descobriram, após vasculhar os dispositivos eletrônicos, que o investigado operava uma plataforma digital através da qual realizava a venda de pacotes com conteúdo audiovisual de pornografia infanto-juvenil, os quais eram transmitidos via aplicativo de mensagens aos compradores.