Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Corregedoria da Polícia Civil realiza Operação Infiltrados e sete agentes são presos

Fotos: Maurício Tambasco

ASCOM - Assessoria de Comunicação
18/10/2018 13h51 - Atualizado em 18/10/2018 13h51

A Polícia Civil do Estado do Rio de janeiro, por meio da Corregedoria Interna (Coinpol), deflagrou a Operação Infiltrados nesta quinta-feira (18/10), para prender sete policiais civis, sendo dois delegados. Eles são acusados de organização criminosa; extorsão mediante sequestro; concussão; roubo qualificado e prevaricação. São sete mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Mesquita. A operação conta com a participação de 12 delegados e 40 agentes.

A investigação utilizou interceptação de conversas telefônicas autorizadas pela Justiça, análise de dados, colaboração premiada, infiltração e diligências de campo. O inquérito policial comprovou que policiais da 53ªDP (Mesquita) sequestraram, no dia 30/08/2017, um suspeito ligado ao tráfico de drogas da comunidade da Chatuba, com antecedentes criminais de roubo qualificado, contra quem havia mandado de prisão expedido pela Justiça, e o mantiveram nas dependências da delegacia até o pagamento de propina por seus familiares para que fosse libertado. Esse homem foi preso em posterior operação da Corregedoria da Polícia Civil.

Em outra ocasião, um suspeito foi preso em flagrante por roubo qualificado, reconhecido pelas vítimas, mas após a liberação dos policiais condutores, o autor foi solto e seu auto de prisão em flagrante cancelado. Poucos dias depois, ele foi baleado em confronto com policiais.

Também foi constatado que policiais militares apresentaram uma ocorrência de violência doméstica, com o agressor conduzido, mas que mediante o pagamento de propina o autor não foi preso e liberado sem qualquer registro do fato, apesar de a vítima ter sido agredida com grande violência por seu companheiro.

Quatro dos presos estão lotados na 53ªDP (Mesquita), dois na 52ªDP (Nova Iguaçu) e um na 44ªDP (Inhaúma).