Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Sepol prende responsáveis por tortura a criança internada em estado grave no hospital Miguel Couto

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
10/08/2019 12h20 - Atualizado em 10/08/2019 15h14

Policiais Civis da 22ª DP (Penha) prenderam em flagrante, nesta sexta-feira (09/08), Edilaine de Araújo Assis, 19 anos, Naiara de Lima Silva, 24 anos e Wanderson Felipe Fernandes da Silva, 22 anos, moradores da Fazendinha, no Complexo do Alemão, pelo crime de tortura, equiparado a crime hediondo, por terem concorrido para as torturas praticadas contra um bebê de apenas 9 meses de idade que foi internado em estado grave no hospital Miguel Couto.

O fato ganhou ampla divulgação na mídia e causou grande comoção social, principalmente por ter sido divulgado nos jornais que o bebê havia dado entrada no hospital apresentando muitas equimoses, hematomas, sinais semelhantes a queimaduras de cigarro, além de traumatismo craniano, e que estaria em estado gravíssimo, no Centro de Tratamento Intensivo.

Ao longo das diligências realizadas pelos policiais civis da 22ª DP (Penha), durante o interrogatório Edilaine confessou diversas agressões praticadas contra a criança e, ainda, ficou claramente demonstrado que Naiara de Lima e Wanderson Felipe se omitiram, apesar de terem o dever de evitar os crimes.

Destaca-se que dada à gravidade dos fatos, a diretora do Instituto Médico Legal compareceu pessoalmente ao Hospital Miguel Couto e examinou a vítima. A médico legista constatou a gravidade das lesões, a existência de lesões de idades diferentes, bem como a existência de lesão semelhante à queimadura de cigarro, demonstrando, dessa forma, a ocorrência do crime de tortura.

Os presos estão à disposição da Justiça.