Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Ação conjunta das Secretarias de Polícia Civil e Militar prende um dos criminosos mais procurados do estado do Pará

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
12/06/2019 13h37 - Atualizado em 12/06/2019 13h37

A Secretaria de Estado de Polícia Civil, por meio da 22ª DP (Penha) em ação conjunta com a Secretaria de Estado de Polícia Militar, por meio do 16º BPM, realizou na madrugada desta quarta-feira (12/06) a prisão de um dos criminosos mais procurados do Estado do Pará. Thiago Cardoso Martins, conhecido como Thiaguinho, é acusado de crimes de homicídio e roubos a banco e possuía diversos mandados de prisão em aberto. Ele estava foragido do Complexo Penitenciário de Santa Izabel, no Pará.

De acordo com informações da 22ª DP, a partir da troca de informações da Polícia Civil do Rio com a Polícia Civil do Estado do Pará foi possível constata que Thiaguinho estava usando documentos falsos. Ele foi preso em flagrante na Penha, Zona Norte do Rio, pelos crimes de uso de documento falso, corrupção ativa, por ter oferecido R$ 50 mil aos agentes para não ser preso e associação para o tráfico de drogas.

Na ação, os policias também prenderam em flagrante os paraenses Daniele Cristina Santos dos Santos, conhecida como Dan, e Carlos Alexandre de Oliveira Rua, além do carioca Leonardo Ferreira Lemos, o Gordo. Segundo as investigações eles estariam atuando de forma criminosa no Rio de Janeiro e planejavam um roubo a uma agência bancária.

Ainda de acordo com a 22ª DP, Thiago Cardoso é procurado pela prática de diversos crimes no Pará. Ele é apontado como um dos autores do homicídio de um policial militar reformado, assassinado em julho de 2016, na cidade de Belém e de um policial militar da ativa também morto em Belém.

Daniele Cristina também responde por diversos crimes no Estado do pará, entre eles o latrocínio do policial militar Josias Santos Favacho, assassinado na cidade de Ananindeua, em maio de 2018.

Os criminoso estão sendo encaminhados ao presídio e ficaram à disposição da Justiça.