Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

Institucional

Acadepol promove workshop de combate à violência contra a mulher com participação de integrantes do sistema de justiça criminal

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
29/07/2020 10h54 - Atualizado em 29/07/2020 15h14

Mais de 700 policiais participaram do Workshop Rede de Enfrentamento de Violência contra a Mulher, promovido pela Academia de Polícia Sylvio Terra (Acadepol) nesta terça-feira (28/07). A ação educacional teve como objetivo reforçar o compromisso da Secretaria de Polícia Civil no combate a este tipo de crime.

O evento contou com três painéis distintos, em que delegados de Polícia dialogaram com integrantes do sistema de justiça criminal, como Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e especialistas no tema. O objetivo foi debater as políticas nacionais e estaduais de combate da violência de gênero e falar sobre a campanha Sinal Vermelho, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para a diretora da Acadepol, delegada Renata Teixeira, o evento proporcionou a integração entre as instituições, além de reforçar o papel do policial no enfrentamento à violência contra a mulher. "A importância do Workshop Rede de Enfrentamento de Violência contra a Mulher é ampliar o diálogo interinstitucional das agências integrantes do sistema de justiça criminal e promover a sensibilização dos policiais civis em relação a seu importante papel enquanto um dos principais atores da rede de enfrentamento da violência contra a mulher", afirmou.

A diretora do Departamento Geral de Polícia de Atendimento à Mulher (DGPAM), delegada Sandra Ornellas, foi uma das palestrantes do workshop e falou sobre a campanha Sinal Vermelho, do CNJ. "Essa campanha é uma forma de demonstrar que a violência contra a mulher não é um problema da família, não é um problema que se resolve em casa. É um problema em que toda a sociedade precisa rejeitar e agir, no sentido de impedir que ela seja uma constante. É importante sensibilizar os policiais para esse tipo de violência, totalmente diferente das violências que estamos acostumados a lidar. Nós temos que atuar conhecendo a especificidade desse tipo de crime e contribuir com o trabalho de toda a sociedade para a sua erradicação", finalizou a delegada.

Além dos delegados de Polícia, participaram do evento o ministro do STJ, Rogério Schietti, a juíza do TJRJ, Renata Gil e a Procuradora da República, Maria Ziouva.