Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

Institucional

Parceria garante atendimento psiquiátrico e psicológico para policiais civis

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
10/05/2018 17h22 - Atualizado em 10/05/2018 17h22
por Camila Donato

Núcleo especializado em saúde mental conta com equipe formada por psiquiatras e psicólogos

Em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde, a Polícia Civil inaugurou nesta quinta-feira (10) o Núcleo de Saúde Mental da instituição. Doze profissionais atenderão os policiais ativos de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, em ambulatórios especializados de psicologia e psiquiatria que funcionarão a partir desta sexta-feira na Policlínica da PCERJ, no Estácio, Zona Central do Rio.

- Esse é um serviço fundamental para a Polícia Civil e fico satisfeito de estar inaugurando-o. Precisamos quebrar o paradigma de que o policial é um herói, e que ele não adoece. Nós somos seres humanos e sofremos as mesmas consequências que qualquer pessoa. Não podemos negligenciar que o policial lida com situações de alto estresse e depois volta para casa cuidar de sua família. Esse núcleo é para cuidar de quem cuida da gente - declarou o chefe de Polícia, delegado Rivaldo Barbosa.

O setor contará com quatro consultórios e 12 profissionais, entre psiquiatras e psicólogos, que atenderão os pacientes em ambulatórios especializados em estresse pós-traumático, tabagismo, alcoolismo, terapia de grupo e grupo de prevenção ao suicídio. O objetivo é dar suporte especializado aos policiais, que vivem uma rotina diária de estresse.

- A crise nos tornou mais unidos e trabalho em parceria tem mais chances de dar certo. Sem dúvida nossos profissionais vão conseguir oferecer o suporte necessário para ajudar os policiais que trabalham diariamente pela nossa segurança. A saúde é um bem comum, lutamos para oferecer um atendimento digno aos nossos pacientes e nada mais justo do que disponibilizar a mesma qualidade aos profissionais do estado, que fazem parte da população – disse o secretário de Estado de Saúde, Sergio Gama.

O serviço será coordenado pelo médico Carlos Eduardo Merelender, da SES. Ele acredita que a ajuda de profissionais fará diferença na vida dos policiais.

- Os policiais sofrem dos mesmos males que qualquer outro ser humano, tem estresse, ansiedade, as doenças mentais são democráticas. Teremos agora profissionais capacitados para ajudá-los a superar as dificuldades do dia a dia.